Translate

Store berkekê

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A mulher na MPB

Geralmente não gosto de fazer distinções entre homens e mulheres, ainda menos se falamos da arte, mas é verdade que a mulher na MPB (Música Popular Brasleira) tem demostrado um lugar importante na historia da música brasileira.

Fica longe, mas na memoria, Carmen Miranda, sem dúvida uma das melhores embaixadorsa do Brasil para o resto do planeta. Apôs dela, e sem vontade de desmoerecer o grande talento de outras da sua geração, está a grande Elis Regina, cantora inmortal.

O mais destacavel ao falar de cantoras no meu post é não só a qualidade e capacidade natural para cantar, compor ou interpetrar, senão também a sorte de ter uma voz personal, propria, inconfundivel e privilegiada.

Poderiamos fazer uma classificação em duas formas de cantar:

A voz doce, sensual, aguda como Joyce, Gal Costa ou Leila Pinheiro entre outras e a voz forte, marcante de cantoras como Alcione, Martnalia, María Bethania ou Simone.

Tem outras vozes que além do talento natural, foram educadas e melhoradas como Mônica Salmaso, uma artista que fica muito perto da voz operística mas tambem da MPB.

A fila é inumera, há muitas cantoras com sucesso não tanto pela fama senão pela qualidade.

Fora daquilas geraçôes fundamentais para reconhocer a historia musical do Brasil, hoje cada vez es mais dificil encontrar uma voz com uma personalidade sem ter que tirar do livro das comparações. A música no Brasil tem logrado em quase quatro décadas a maior concentração da arte e não só ja no niver feminino, também em geral muito dificil de se repita. Ë verdade, no resto do planeta a situação não é muito melhor, de fato, a arte em geral tem experimentado um retrocesso na qualidade e na criatividade a excepção de alguns artistas, pela genialidade, tem a capacidade de sobrevivencia e não entrar no circo da midia que gosta tanto dos clones porque isso é garantia de sucesso, especialmente económico.

Sei que estão faltando muitos nomes aqui, e peço desculpas que não é por desconhecimento nem reconhecimento de seu talento senão para não cansar e marcar em destaque daquilas mulheres que deram ao Brasil um rico leque de estilos, criatividade e dedicação.


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Osvaldinho da Cuica: o mestre da cuica

Alguma vez tenho falado aqui da minha grande paixão pelo instrumentos musicais sejam do lugar que sejam.

A cuica es um desses que consegueu-me apaixonar, será porque quem ainda nunca me conheçeu não encontrou em mim o lado engraçado ou poque manteno oculto demais.

Es a cuica um instrumento duma sonoridade contagiosa, ninguem pode se resistir a ela e tem a capacidade de tirar o baixo astral de qualquer.

Lembro, numa das minhas visitas a Recife numa loja de instrumentos perguntei se era possivel de ele me ensinar uma cuica, era assim tanta minha curiosidade. Infelizmente aquele moço no sabia toca-la e apenas fiquei sabendo cómo ela é capaz de falar, rir, chorar, imitar animais, sons, etc.

Apôs de tantos anos comprei uma cuica, era quase uma obrigação fazer isso numa espera tão longa, e fiquei feliz com minha cuica mesmo não seja a melhor cuica do planeta nem do Brasil.

Foi aí que encontrei a Osvaldinho da Cuica na net e não tinha palavras para explicar como ele faz o que consegue com esse instrumento apenas tão simples.

Mas só um paulista nascido no Carnaval de 1.940 pode ter o privilegio disso. Mais ou menos que a fascinação que ele sinteu a primeira vez que escutou uma cuica foi similar aquila que eu tive, só que ele dedicou toda sua vida a ele e aí que existe a primeira diferença entre um mestre e um simples apaixonado.

Era Osvaldinho (Osvaldo Barro) engraxate de apenas 14 anos e quens lhe conheceram naquele tempo falam que tinha tal sentido do ritmo que era dificil um grande músico não nascera daquilo. Com certeza foi assi mesmo que a longa carreira do embaxaidor do samba paulista, homenajeado em inumeras ocasões chegou não só a tocar como ninguem a cuica, mesmo a compor, arranjar, cantar e outras tantas tarefas que qualquer músico inveja.

Além disso, Osvaldinho conheceu e conhece a tantos grandes nomes da música brasileira que ficam na sua procura como quem quer ensinar a melhor das joias. Desses grandes da música brasileira está Adoniram Barbosa uma peça imprescindiver para entender o samba paulista.

Faz uns meses, Osvaldinho commemorou seus 75 anos de idade. Eu acho que apòs de sua grave doença a quem ganho a batalha com a melhor das armas: sua cuica, Osvaldinho continua com uma grande vontade de oferecer sua arte. Parabens mestre , não deixe você  de espalhar por todo o Brasil a ritmo de cuica seu talento, quando sua cuica fala, um sorriso chega e es capaz de transformar a vida duma pessoa.