Translate

Store berkekê

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

De volta com o sertão

Temos falado aqui do grande Renato Teixeira como uns dos mais importantes músicos resgatando la música capira o sertaneja, termo ainda dificil de definir.

Outros nomes tem espalhado o Brasil todo de Norte a Sul e de Sul a Norte com um gênero vamos dizer muito mais profundo que outros que deram sucesso ao Brasil para o resto do planeta e mais atuais que ele: a música sertaneja.

O mais interesante es as grandes diferenças que co-existem entre cada lugar onde o sertão, essa paisagem do agreste que muito bem descreve Jorge Amado em algumos de seus melhores livros, onde a modernindade não colocu seu pé, sem que isto seja bom ou mal, simplesmente acouteceu e consegueu que a música sertaneja fose mais "limpa" de qualquer outra influença. es claro, sem falar do seu passado colonial.

Se você escuta hoje música sertaneja feita por novos cantores, tal vez fique decepcionado. A verdade, a sertraneja só por levar sanfona, chapeú de cowboy não é suficiente e o conteúdo tem perdido muita qualidade, ao menos aqueles que ficam na midia e que configuram o menu que os produtores quem vender.

Há três nomes importantes que gostaria fossem mais conhecidos pelos leitores internacionais: Elomar, Xangai e João do Vale.

São os dois primeiros do cartaz bahiano e quase com uma diferença duma geração mais ou menos. Se você ainda não tem escutado (que não ouvido) a Elomar Figueira Mello, dificilmente pode entender a música sertaneja feita em Bahia. Tem um estilo muito personal, proprio e linguagem sertaneza como ele gosta de dizer. Especialmente são obrigadas suas Cantorias (1.984). Diz ele: " só é cantador, quem traz no peito, o cheiro e a cor da sua terra ...".

Eugenio Avelino, que foi chamado de Xangai pelo nome duma sorveteria do seu pai, é um cantor e compositor que tem continuado a tradição musical de Elomar, com quem participou nalguns dos seus albumes. Era normal ou possivel, que um filho e netro de sanfoneiros ia continuar o caminho da familia. Junto com Teixeira, Xangai forma a velha guarda da música sertaneja e são mestres vivos que merecem o maior respeito e reconhecimento.

Doutro lado, no estado de Maranhão, João do Vale es uns dos artistas mais importantes, suas músicas tem sido cantadas por milhares de cantores e cnatoras e es uma parte ja da historia da música popular brasileira.

Três nomes que não pode esquecer para entender como uma música que fala das coisas tradicionais, da terra, das gentes, dos sentimentos, da historia, em definitiva, do vivido e por viver mesmo a sociedade capitalista queira derrubar qualquer passado e raiz, que está impregnado na vida de qualquer brasileiro ou brasileira que sente e dá seu lugar a cada coisa, que dança entre a modernidade e a tradição. Ate aqui, o Brasil de Mario de Andrade e a identidade, apôs, ninguem sabe nem Brasil nem em qualquer canto do planeta, cada vez mais homogéno, cada vez menos homens e mulheres, cada vez mais robots.