Translate

Store berkekê

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Maxima prioridade. Salvar a Amazônia

 O futuro do planeta está em risco. Uma vez escutei, não lembro quem disse, que Amazônia é coisa dos brasileiros. Eu não concordo com esta opinião de visão reduzida e interesseira. O que aconteça alí é coisa de TODOS os que vivem no planeta Terra.


Greenpeace está pedindo que você assine contra as políticas atuais do governo brasileiro.


Pode traduzir o link usando o tradutor Google pra ler. Sua assinatura pode contribuir na luta. 

Copie e cole ou crie um link em seu navegador

Greenpeace Espanha Amazônia

Se não pode assinar, procurre em Ação Internacional Greenpeace

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Orfeu Negro 1.959

 Ontem, por acaso, chegou até mim o filme Orfeu Negro, uma adaptação que o diretor Marcel Camus fez da obra de Vinicius de Moraes.  


Ao começo achei outro filme mais dos topicos do Brasil: Carnaval, festa, vagunza, etc. Mas pouco a pouco encontrei a genialidade que uma obra assim merece ter sido reconhecida.


O mito de Orfeu e Euridice é levado com seus topicos a eterna luta da sobrevivência do amor. 


Mais longe que duas das grandes músicas do Brasil de Antonio Carlos Jobim e Luis Bonfá ultrapassen oceanos, culturas, formas de entender a vida; Orfeu Negro soube adaptar de forma inteligente uma das maiores historias que ficaram na mente e nas músicas e operas de muitos compositores, de obras teatrais, de outros filmes e assim vai...


O simbolismo da fantasía da morte, a descida de Orfeu naquilas escadas na procura da falhecida Euridice, o menino mesmo me recorda a Cupido tentando ligar as vidas dos namorados e muitas outras escenas bem trabalhadas.  Nem falar das fotografias e paisagens daquele Río do final dos anos 50. Como ja disse, uma genialidade.


Além disso, Oreu Negro é também um documentario daquele Carnaval louco, espontâneo, dos primeiros ritmos de samba, das escolas como Portela ou Unidos da Babilonia, que realmente existiu no Morro que leva seu nome, da violência policial, do Carnaval da rúa e até daqueles feios predios das primeiras cenas a chegada de Euridice a Río.


Mesmo que aquel Brasil de topicos cada vez está mais longe no tempo, tem muitos brasileiros que não falam muito desse filme nem da sua repercussão. Será que acontece como na Andalusia, onde as vezes o silenço é substituto da vergonha do seu passado. Mas ninguém pode negar nem esquecendo que aquilo foi assim e felizmente mudou, tudo presente é uma conquista que se faz do passado (as vezes).


Marpessa Dawn falheceu na França no ano 2.008. Sua carreira no foi muito longa. E curiosamente o gaucho Breno Melo falheceu o mesmo ano. Coisas da vida.


O filme foi nomeado aos Oscars além doutros premios.


Disponível no youtube


Como ja disse mais duma vez: tristeza não tem fim, felicidade, sim.


domingo, 20 de setembro de 2020

Setembro de novidades

 Caros amigos:


Os últimos días do mês foram muito produtivos e cheio de novidades.


Agora ja tem a posibilidade de comprar as faixas dos albumes por separado (ao menos dos últimos trablahos do artista). Acessa na Web Oficial no campo LOJA SOLIDARIA.

 

Falando da Web oficial, temos feito algumas melhoras e mudado o disenho com a apresentação do novo album do artista Arquitectura 2.020 que pode comprar EXCLUSIVAMENTE na Web Oficial. Nesse projeto o artista  mergulha nos mundos da música contemporánea, as ideias de Murray Schaffer e a paisagem sonora e os sons afastados da orquestra tradicional. Próximamente oferecemos um post com a GUÍA DIDÁTICA que ajuda a comprender melhor a nova proposta que nasce da união das palavras arquitetura e textura.


Ja a dispor das demos desse album na Web no campo DISTRIBUIDORES OFICIALES (gentiliza de Soundclick) o acima do blog berekekê em português.

 

Esperamos goste das novidades, fique a vontade e mais duma vez seja bemvindo.

 



segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Alcione, Calcanhoto, Vergueiro na pandemia

Tem alguns que acham que os criadores crescem nas adversidades, mesmo que eu não tenha a certeza disso, tem ao menos três artistas que tem publicado album nesses momentos que vivemos.

Artistas com carreiras bem consolidadas e sabem o que os escutantes esperam deles.

Alcione Tijolo por tijolo (Biscoito fino, 2.020)

Parece incrível, mas a Marrom ja comemora 42 álbumes. O novo, conta com seus compositores, como Serginho Meriti, Arlindo Cruz, Fred Camacho, Júlio Alves, Edil Pacheco, Zé Américo Bastos, Salgado Maranhão, Telma Tavares e Roque Ferreira.  Produzido por Alexandre Menezes e conta com arranjos de Jorge Cardoso, Jota Moraes, Prateado, Zé Américo Bastos e do próprio Alexandre (diretor musical da Banda do Sol). Nenhuma informação dos músicos do álbum.

14 faixas feitas a medida do sapato da cantora de Maranhão.  Difícil de surpreender mais nunca decepcionar. Sambas principalmente e, impossivel escolher a melhor música. A cantora com novo registro vocal mais experiente.

Calcanhoto, Adriana.  Só 2.020

Para quem gosta desse lado mais radical e inovativa de Adriana, é um trabalho gratificante.  Ë a habilidade camaleão da artista para se adaptar a cada novo projeto e conceito.

De uma grande criatividade, o álbum foi gravado em tempo record, ainda assim, quem poderia pensar Calcanhoto arriscando em besteiras? Basta apenas dar uma olhadinha aos músicos: Allen Alencar (guitarra), Zé Manoel (piano), Diogo Gomes (sopros), Bruno di Lullo (violão), Rafael Rocha (percussão), Bem Gil (violão), Thomas Harres (bateria e percussão) e Chibatinha (guitarra).

Além disso (mesmo não tenha valor musicalI, a apresentação audiovisual de Só , não só mostra o que  um artista é capaz de fazer quando há criatividade demais.

Também muito complicado escolher uma música melhor que outra.  A artista compõe e escreve com a facilidade e inspiração do momento.

Vergueiro, Carlinhos Tô Aí (Biscoito fino, 2020)

Na encruzilhada nos tempos que temos que viver, Vergueiro lança novo álbum.

Se longa é a carreira da Marrom, Carlinhos é também uns dos nomes de luxo duma época no Brasil. Talentoso músico que escreve e assina com a palavra liberdade.

Sem noticias dos músicos. mas sim das participações de grandes como Eduardo Gudin. Paulo Cesar Pinheiro, J. Petrolino o Francis Hime. Isso é falar também de luxo.

Impossivel escolher uma música melhor que outra, mas me tocou muito a Valsa do esquecimento e adorei Cantei meu samba (ninguém teria que deixar de ser o que é).

NOTA. Numa entrevista que o cantor fez no Sesc de São Paulo, honra aos músicos desse trabalho.

CONCLUSÃO:

É provavel outros trablahos sejam ja publicados ou a publicar em um tempo diferente para o ser humano. Aquí tem três obras magistrais de três artistas que ficam na linha da batalha de uma castigada cultura, mais ainda ficando contra-corrente.

quarta-feira, 13 de maio de 2020

El correo del zar NOVO ÁLBUM

Foi apresentado o novo álbum El correo del zar 2.020 uma viagem pela obra do escritor Julio Verne "Miguel Strogoff" e inspirada nas músicas tradicionais do Cáucaso.

O álbum só está disponivel a venda na Website oficial.

Também pode escutar alguns trechos das faixas dessa trilha sonora na MEDIA da Web Oficial.


sexta-feira, 20 de março de 2020

A discografía disponivel no Soundclick

Temos feito um grande esforço e ja está ao cento por cento a discografía na playlist de Soundclick.

Somente os três álbumes que foram atualizados (MIRADORES, SIETE PIEZAS CHINAS e PLATEROIDEOLOGÍA) sob nome Deluxe não estarão disponiveis, mas podem ser escutados na Website oficial de berekekê como demos.

Obrigado pela sua paciência e disculpas pelo incomodo.

Website Oficial berekekê

quarta-feira, 18 de março de 2020

Platerodieología deluxe

Prezad@s amig@s da comunidade de lingua portuguesa:

Temos concluido a proposta de melhora dos três primeiros albumes de berekekê. Era uma necessidade nascida de oferecer maior qualidade graças aos avamços tecnológicos de DAW¨s ou VST´s, fazer novos arranjos ou incorporar onde for possivel, instrumentos acústicos que sejam mais realistas.

O termo deluxe tem que ser entendido como precaução. Os trablahos de edição e pordução musical são feitos desde a situação de artista independente. Infelizmente não é possivel levar a cabo um trabalho num estudio com os recursos profisionais e os destaques dos equipes de grabação. Mas com isso, foram gravados com materiais profisionais para oferecer ótima qualidade com as proprias e modestas possibilidades.

O album não estará disponivel nas plataformas digitais de distribução, só será possivel na Weboficial de berekekê.

Como sempre, os bens obtidos das vendas serão desitnados a fins e ajudas solidarias.

Esperamos que seja do seu agrado. Fique a vontade.

segunda-feira, 16 de março de 2020

Soundlick a nova playlist no blog

A promoção dum artista é algo muito importante. As vezes, um tem que confiar nas suas proprias forças para superar as pedras do caminho.

Soundclick tem uma playlist que vai permitir aos amig@s do blog continuar escutando as demos das minhas músicas.

Não é uma playlist atualizada, por isso e até isso, somente estão disponiveis alguns albums.

Fique a vontade!

Para versão celular tem que pasar a versão web (final da página)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Solidão, esquecimento e injustiça

Na historia dos compositores acontece as vezes que passam pela vida sem ter sido reconhecido. É o caso do compositor e músico José María de Abreu (quem curiosamente era chamado Rei da valsa).

A solidão, o esquecimento e a injustiça ficam do lado de muitos composiotres como ele (também noutras áreas do ser humano).

José María de Abreu nasceu em Jacarei no 1911 e falheceu em Río de Janeiro no 1.966. Seu pai ensinou-lhe a tocar piano e outros instrumentos como o violão ou trompete e sua mãe no canto.

A solidão do compositor é quando são outros os que fazem sucessos suas músicas e com elas chega o esquecimento daquele (não é Dick Farney o compositor de Alguém como tú como ja vi em algumas páginas de letras dessa linda música de Abreu) e com o esquecimento chega a injustiça e passar pelo mundo sem ter sido reconhecdo ou pior ainda roubando o que é por dieito proprio dele.

Acontece também, e faz parte da vida do compositor, que alguns aproveitam a originalidade dum compositor para fazer copias ou imitações conseguindo a fama com isso. Mas neste último caso, só os ignorantes não tomam conta de quém foi primeiro o criador e procuram na imitação a realidade e a qualidade.

Num país como Brasil, onde tem compostiores, músicos, artistas por metro quadrado, é muito fácil que Abreu continue lá, no esquecimento, na injustça e na sua solidão. Só é privilegio duns poucos reconhecer e dar o lugar que merece. Mas se alguma vez acha que algma música tem a capacidade de chegar além do seu coração, admire a seu cantor/cantora mas nunca esqueça quem colocou as notas certas no lugar certo para chegar até tú.

Radio Cultura